Conheça toda a História em um só lugar!
Mais de 850 tópicos e exercícios para você arrasar no Vestibular e no Enem.
  Cadastre-se

Questão 1 (Ufsc)

Assinale a ÚNICA proposição CORRETA. Nos ciclos seqüenciais da economia do Brasil, a ordem cronológica é:

(01) pau-brasil, açúcar, ouro, café.

(02) pau-brasil, ouro, açúcar, café.

(04) pau-brasil, café, ouro, açúcar.

(08) pau-brasil, açúcar, café, ouro.

 
Gabarito

01

Questão 2 (Enem)

Considerando a linha do tempo da imagem e o processo de abolição da escravatura no Brasil, assinale a opção correta.

a) O processo abolicionista foi rápido porque recebeu a adesão de todas as correntes políticas do país.

b) O primeiro passo para a abolição da escravatura foi a proibição do uso dos serviços das crianças nascidas em cativeiro.

c) Antes que a compra de escravos no exterior fosse proibida, decidiu-se pela libertação dos cativos mais velhos.

d) Assinada pela princesa Isabel, a Lei Áurea concluiu o processo abolicionista, tornando ilegal a escravidão no Brasil.

e) Ao abolir o tráfico negreiro, a Lei Eusébio de Queirós bloqueou a formulação de novas leis antiescravidão no Brasil.

 
Gabarito

D

Questão 3 (Enem)

Você está estudando o abolicionismo no Brasil e ficou perplexo ao ler o seguinte documento:

 

Texto 1

Discurso do deputado baiano Jerônimo Sodré Pereira - Brasil 1879

No dia 5 de março de 1879, o deputado baiano Jerônimo Sodré Pereira, discursando na Câmara, afirmou que era preciso que o poder público olhasse para a condição de um milhão de brasileiros, que jazem ainda no cativeiro. Nessa altura do discurso foi aparteado por um deputado que disse: "BRASILEIROS, NÃO".

 

Em seguida, você tomou conhecimento da existência do Projeto Axé (Bahia), nos seguintes termos:

 

Texto 2

Projeto Axé, Lição de cidadania - 1998 - Brasil

Na língua africana lorubá, axé significa força mágica. Em Salvador, Bahia, o Projeto Axé conseguiu fazer em apenas três anos, o que sucessivos governos não foram capazes: a um custo dez vezes inferior ao de projetos governamentais, ajuda meninos e meninas de rua a construírem projetos de vida, transformando-os de pivetes em cidadãos.

A receita do Axé é simples: competência pedagógica, administração eficiente, respeito pelo menino, incentivo, formação e bons salários para os educadores. Criado em 1991 pelo advogado e pedagogo italiano Cesare de Florio La Rocca, o Axé atende hoje a mais de duas mil crianças e adolescentes.

A cultura afro, forte presença na Bahia, dá o tom do Projeto Erê (entidade criança do candomblé), a parte cultural do Axé. Os meninos participam da banda mirim do Olodum, do Ilé Ayê e de outros blocos, jogam capoeira e têm um grupo de teatro.

Todas as atividades são remuneradas. Além da bolsa semanal, as crianças têm alimentação, uniforme e vale-transporte.

 

Com a leitura dos dois textos, você descobriu que a cidadania:

a) jamais foi negada aos cativos e seus descendentes.

b) foi obtida pelos ex-escravos tão logo a abolição fora decretada.

c) não era incompatível com a escravidão.

d) ainda hoje continua incompleta para milhões de brasileiros.

e) consiste no direito de eleger deputados.

 
Gabarito

D

Questão 4 (Fuvest)

"...esta estrada de ferro, que se abre hoje ao trânsito público, é apenas o primeiro passo de um pensamento grandioso. Esta estrada, Senhor (D. Pedro II), não deve parar e, se puder contar com a proteção de Vossa Majestade, seguramente não parará senão quando tiver assentado a mais espaçosa de suas estações na margem esquerda do rio das Velhas."

                                (Barão de Mauá, quando da inauguração da estrada de ferro Rio-Petrópolis, em 1854.)

       

 

Com base no texto, comente o processo de modernização no Brasil e explicite a posição de Mauá nesse processo.

 
Gabarito

Na segunda metade do século XIX o Brasil passou por uma série de transformações econômicas que mudaram seu perfil colonial, tais como: a expansão cafeeira; as ferrovias, os serviços públicos e o fim do tráfico negreiro.

 

Neste período destacou-se a figura do Barão de Mauá com seu espírito empreendedor e industrializante.

Questão 4 (Unesp)

Os dois grandes partidos imperiais (...) completaram sua formação (...) como agremiações políticas opostas. Mas havia mesmo diferenças ideológicas ou sociais entre eles? Não passariam no fundo de grupos quase idênticos, separados apenas por rivalidades pessoais? Muitos contemporâneos afirmam isso. Ficou célebre uma frase atribuída ao político pernambucano Holanda Cavalcanti: 'nada se assemelha mais a um saquarema do que um luzia

no poder'.

(B. Fausto, "História do Brasil".)

 

A transcrição refere-se aos partidos

a) Radical e Justicialista, que formaram a estrutura bipartidária vigente na Regência.

b) Republicano e Democrático, que deram o tom político ao longo do Primeiro Reinado.

c) Progressista e Ruralista, que se constituíram nas duas forças políticas em ação no Segundo Reinado.

d) Trabalhista e Positivista, que moldaram a vida política no Antigo Regime.

e) Conservador e Liberal, que dominaram a cena política até a proclamação da República.

 
Gabarito

E

Questão 5 (Enem)

Negro, filho de escrava e fidalgo português, o baiano Luiz Gama fez da lei e das letras suas armas na luta pela liberdade. Foi vendido ilegalmente como escravo pelo seu pai para cobrir dívidas de jogo. Sabendo ler e escrever, aos 18 anos de idade conseguiu provas de que havia nascido livre. Autodidata, advogado sem diploma, fez do direito o seu ofício e transformou-se, em pouco tempo, em proeminente advogado da causa abolicionista.

 

AZEVEDO, E. O Orfeu de carapinha. In: Revista de Historia. Ano 1, n.o 3. Rio de Janeiro:

Biblioteca Nacional, jan. 2004 (adaptado).

 

A conquista da liberdade pelos afro-brasileiros na segunda metade do séc. XIX foi resultado de importantes lutas sociais condicionadas historicamente. A biografia de Luiz Gama exemplifica a

a) impossibilidade de ascensão social do negro forro em uma sociedade escravocrata, mesmo sendo alfabetizado.  

b) extrema dificuldade de projeção dos intelectuais negros nesse contexto e a utilização do Direito como canal de luta pela liberdade.  

c) rigidez de uma sociedade, assentada na escravidão, que inviabilizava os mecanismos de ascensão social.  

d) possibilidade de ascensão social, viabilizada pelo apoio das elites dominantes, a um mestiço filho de pai português.

e) troca de favores entre um representante negro e a elite agrária escravista que outorgara o direito advocatício ao mesmo.  

 
Gabarito

B

Questão 6 (Unicamp)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 7 (Uff)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 8 (Unicamp)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 9 (Fuvest)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 10 (Fuvest)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 11 (Unicamp)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 12 (Unesp)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 13 (Enem)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 14 (Ufrj)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 15 (Uerj)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 16 (Unesp)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 17 (Uerj)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 18 (Uece)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 19 (Unicamp)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.

Questão 20 (Unirio)

Conteúdo acessível apenas para usuários do plano Premium.